Loiola XXI

Lugar de encuentro abierto a seguidor@s de S. Ignacio de Loyola esperando construir un mundo mejor


Deja un comentario

Brasil. Periodista asesinado

Diretor de rádio assassinado no estado do Rio de Janeiro, o primeiro do ano no continente americano

DIRETOR DE RÁDIO ASSASSINADO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, O PRIMEIRO DO ANO NO CONTINENTE AMERICANO

PUBLICADO EL MIÉRCOLES 9 DE ENERO DE 2013.

Nota: atención. Han transcurrido ya doce días desde que ocurrió el hecho. No obstante el retraso, publicamos esta información por considerarla de permanente importancia.
Fuente: reporteros sin fronteras
***********************************************************

Diretor e co-proprietário da estação Rádio Barra FM no estado do Rio de Janeiro, Renato Machado Gonçalves tornou-se no primeiro jornalista assassinado no ano de 2013 sobre o continente americano.

“Embora a motivação do crime esteja ainda por determinar, o roubo parece excluído e o modo operatório aponta claramente para uma execução. A pista profissional deve ser seriamente contemplada pela investigação em curso. Desejamos saudar a memória de Renato Machado Gonçalves e enviar nossos pêsames a sua família e amigos, ao mesmo tempo que expressamos nossa preocupação pela segurança dos jornalistas após um ano de 2012 particularmentemortífero. Os recentes exílios de profissionais de renome como André Caramante – que entretanto regressou ao Brasil – e Mauri König realçam a necessidade urgente de uma maior proteção. O debate ao nível federal já teve início. Esperamos que conduza a conclusões o mais depressa possível”, declarou Repórteres sem Fronteiras.

O jornalista estava saindo de sua residência, situado no mesmo edifício que a rádio, em São João da Barra (município do norte do estado), na noite de 8 de janeiro, quando dois indivíduos em uma moto se aproximaram e abriram fogo, de acordo com testemunhas. O jornalista teria recebido uma chamada telefónica antes de sair à rua. Atingido por quatro balas, das quais duas no tórax, o jornalista sucumbiu aos ferimentos após ter sido levado para o hospital Ferreira Machado, em Campos. A investigação foi confiada à 145ª delegacia de polícia, em São João da Barra.

Contatado por Repórteres sem Fronteiras, um colega de Renato Machado Gonçalves confirmou que ele havia sido agredido durante a campanha das eleições municipais dos dias 7 e 28 do passado mês de outubro, no decorrer de uma sessão da câmara municipal de São João da Barra. A campanha ficou marcada por numerosas agressões contra jornalistas, assim como ataquescontra redações e vários casos censura judicial.

No entanto, “Renato não recebera ameaças e se tivesse recebido teria denunciado publicamente”, precisou seu colega. “Nos últimos tempos, não trabalhou sobre nenhum tema polémico. Agora, sem ir até afirmar que se tratou de um crime político, tendo em conta o modo operatório e as sete balas disparadas, podemos falar de execução e nunca de assalto”, concluiu nosso interlocutor.

Repórteres sem Fronteiras se debruçará ainda esse mês sobre a situação da liberdade de informação no Brasil com a publicação de um relatório resultante da missão efetuada no país em novembro de 2012.

 


Deja un comentario

Llamada urgente en favor de un periodista

  Nota. Por la urgencia y gravedad del caso, adjuntamos esta información en inglés de Reporteros sin fronteras

*******************************************************

 Held incommunicado and tortured,
 Syrian journalist Mazen Darwish could die. 

 

photo de Mazen DarwishMazen Darwish, the head of the Damascus-based Syrian Centre for Media and Freedom of Expression (SCM), and 15 of his colleagues were arrested by Air Force Intelligence officers during a raid on the centre on 16 February.

According to our sources, he has been badly tortured in detention. We have good reason to think his life is in danger because he suffers from serious ailments and his condition could worsen rapidly if he is not getting the treatment he needs. The Syrian authorities refuse to say where he is being held. He is not being allowed access to his family or lawyers, in complete violation of international law. So far, no charges have been brought against him.

Darwish is in grave danger. The authorities arrested him in order to silence him, because he was telling the outside world about acts of violence by a regime that persists in its deadly folly. A staunch defender of human rights and freedom of expression, Darwish played a key role in providing daily information about the situation in Syria, at a time when almost all foreign journalists are banned from visiting the country.

Without the courage of Syrian journalists and bloggers, no freely reported news and information would be available. You can help to change their destiny. Support our efforts to obtain the release of Darwish and the hundreds of other journalists imprisoned throughout the world. Make a donation!

Thank you for your support,

Dominique Gerbaud's signatureDominique Gerbaud,
Reporters Without Borders President

Reporters Without Borders : 25 years defending freedom of information.

Thanks to your donations, we have helped to obtain the release of many journalists, including: 

– Maikel Nabil Sanad (Egypt), released on 24 January 2012
– Jamal Osman Hamad (Sudan), released on 19 December 2011
– Hervé Ghesquière, Stéphane Taponier (France), released on 29 June 2011
– Eynulla Fatullayev (Azerbaijan), released on 26 May 2011
– Albert Santiago Du Bouchet (Cuba), released on 8 April 2011
– Abdolreza Tajik (Iran), released on 22 December 2010